Adaptações

Depois de falar de notas não poderia deixar de falar sobre adaptações. Afinal, o efeito mais comum de não se usar notas é aumentar as adaptações.

Não dá para eu dizer que gosto ou não, não é uma questão de preto no branco. Também não são 50 tons de cinza: não podemos criar uma variável onde um lado é “nada adaptado” e do outro “bem adaptado”. Toda tradução é adaptada até um certo ponto e há vários aspectos (e cores) envolvidos.

Alguém pode resolver seguir a seguinte linha de pensamento “quem irá assistir é um brasileiro logo tentarei traduzir da forma que cause o menor estranhamento para um” resultando em algo assim:

inline image

Por outro lado isso causa um estranhamento para quem sabe e está acostumado com o fato de que no Japão não se usa reais, porém ienes. Para essas pessoas a adaptação parece forçada e nada natural.

Por outro lado alguém pode pensar “quem for assistir isso sabe que a história acontece no Japão e pode muito bem pesquisar na internet os termos que não entender e assim aprender mais sobre a cultura de lá”, resultando em algo assim:

inline image

Nesse caso temos um problema maior do que o das notas: se com as notas quem estava assistindo precisava pausar o vídeo, ler e continuar assistindo agora além disso há a necessidade de abrir uma pesquisa.

Dá para dizer que esses casos são erros? Ao meu ver, não. É uma escolha de estilo do tradutor. Por outro lado como essas escolhas, por mais válidas que sejam e por mais que apresentem benefícios, também causam problemas, logo vale reclamação pedindo o bom senso? Nesse caso aí sim.

Qual é o espectro de estilos que mais lhe agrada?