Semana passada foi o dia dos namorados. É o dia que o pessoal faz declarações públicas de amor a quem ama, sejam pessoas reais ou não, declarações reais ou utópicas, pessoas normais ou otakus. Embora não me importe muito esse dia, por motivos lógicos, decidi postar sobre ele por alguns motivos.

Mesmo para quem não quer nada com esse dia não tem como deixar esse dia passar: fica um clima meloso agridoce forte, em geral muita gente fica comentando e reclamando. Pessoal fica pensando no que dar de presente, desde os presentes físicos como comidas (como chocolates, jantares romanticos, etc) até os mais sentimentais, como lembranças dos melhores momentos do nosso amor .

No meu caso o motivo para a postagem nem é tanto por causa disso, mas algumas reflexões após ver alguns animes. O dia mais próximo ao dia dos namorados no exterior, aparecendo em mais de 48 deles, em 58 episódios diferentes dedicados só para ele: Valentine’s.

Estava pensando: o pessoal do exterior, em especial o Japão, é um pouco esperto nas vendas. Pensem o seguinte: no dia dos namorados uma parcela enorme de pessoas acabam ganhando nada, nem por amizade ou coisa do tipo. Já lá garotas se presenteiam, amigos se presenteiam. Então fica a dúvida: os lucros são maiores? Como se não bastasse ainda por cima dividem o dia em dois dias diferentes: em um elas dão presente, e em outro (embora menos famoso) eles que dão presente, e de preferência três vezes mais caro do que o delas. Ou seja: mais lucro!

Não podemos esquecer outro detalhe: há uma mania das garotas fazerem chocolate caseiro. Isso pode até ser exagero de anime, mas se isso for verdade as chances de acabarem gastando mais do que se fossem comprar os chocolates prontos é bem grande, ainda mais por que nem toda garota é uma pâtissier e consegue fazer um doce bom de primeira.

Por aqui não temos esses costumes, a cultura da nossa sociedade não é feita para isso, já a deles sim. Enquanto isso fico aqui em dúvida se escrevo uma declaração - assim como uma dessas acima - para a minha ex-waifu ou para ninguém.

Mudando um pouco o foco recentemente terminei Inou-battle e ele mostrou uma ideia interessante: pessoas não procuram por namoradas ou esposas, mas por alguém que as escolha. Elas querem ser a pessoa escolhida de alguém. Isso é uma forma interessante de pensar pois leva a algumas considerações:

A primeira delas é que uma relação unilateral não é normal. Como todas as relações 2D ― sejam de qualquer gênero ― são assim cria-se uma situação curiosa: ou a pessoa não sente-se amada, o que cria uma relação dolorosa, triste e sem lógica; ou ela tem que mentir para si mesma e pensar que a relação não é unilateral.

A outra consideração possível é que a possibilidade de pessoas se contentarem apenas em ter uma pessoa especial. Assim o comportamento de amar um ser inanimado e/ou inatingível é explicado. Também é um fator que deixa as relações ainda mais complicadas, por vários motivos que decorrem dessa consideração e não pretendo incluir nessa postagem.


Gustavo bio photo

Gustavo

Escrevo sobre programas, animes e um pouco mais.

Twitter Github Stackoverflow MyAnimeList