FLAC é melhor mesmo?

Essa será uma postagem simples porque muita gente já deve saber a resposta, esses podem até responder abaixo nos comentários que era óbvio se quiser. Mas há quem não sabe ou não entende bem, então estou escrevendo para essas pessoas.

Resumo: usar FLAC pode ser melhor, mas nem sempre e em vários casos ele causa mais problemas do que ajuda.

Em primeiro, o que é FLAC? É uma forma de salvar áudio de forma compacta e sem que o áudio perca qualidade. Em contraste, outras formas como AAC, AC3 e o velho MP3 compactam o áudio com perda de qualidade. Um detalhe importante é que ele não melhora a qualidade, só impede que piore, assim converter um arquivo para FLAC não vai melhorar a qualidade. Se o arquivo original não era compactado, como um WAV, o resultado será menor, mas se o arquivo original era, como um AC3, a qualidade será a mesma e o resultado será maior.

Uma forma de entender melhor isso é comparar com imagens:

  • AC3 é como JPEG, compacta porém perdendo qualidade, resultando em arquivos bem pequenos;
  • FLAC é como PNG, compactados mas sem perder qualidade, resultando em arquivos medianos;
  • WAV é como BMP, não compacta, resultando em arquivos grandes.

Salvar um JPEG em PNG não vai melhorar a qualidade da imagem. O máximo que pode acontecer é enganar alguém para pensar que é melhor e desperdiçar espaço em disco. A mesma coisa com AC3 e FLAC.

Mas , por que certas pessoas usam FLAC legitimamente?

  1. Quando recebem um arquivo não compactado e querem diminuir o tamanho do arquivo sem perder qualidade. Exemplo: arquivos WAV e rips de CDs.
  2. Quando recebem um arquivo compactado mas que é incompatível com vários dispositivos, então querem melhorar a compatibilidade do arquivo porém aumentando o tamanho do arquivo. Exemplo: AC3 (comum em DVDs e Blu-rays, mas por causa das patentes ele não funciona em vários dispositivos, como o meu celular ou um leitor de DVD daqui de casa).
  3. Quando recebem um arquivo compactado e querem editar ele de alguma forma sem piorar a qualidade do arquivo. Exemplo: quando fui assistir Kobayashi-san dublado peguei o áudio original em AAC e editei para encaixar no timing do Blu-ray (que é diferente por alguns milissegundos nos pontos do vídeo onde ocorriam os intervalos comerciais na TV) usando o mp3DirectCut que permite editar o áudio sem perder a qualidade, mas esse programa é difícil de usar então muita gente deve preferir usar um programa mais simples e salvar em FLAC.

Com base nas informações acima é fácil descobrir por que tantas pessoas e serviços de streaming não usam FLAC:

  1. Se essas pessoas recebem um arquivo compactado é melhor usar esse arquivo diretamente ao invés de converter para FLAC, o que gastaria mais espaço à toa.
  2. Se elas recebem um arquivo que não tem muita compatibilidade é melhor converter para um formato mais compatível do que converter para FLAC pois os benefícios de manter a qualidade original (atender a demanda de uma população pequena que tem uma audição muito boa) são menores que os problemas causados (aumento no tamanho dos arquivos, que aumenta os custos com armazenamento e banda).

Resumindo os dois pontos acima: porque não são idiotas e não querem jogar dinheiro fora.

E é isso. É mais simples que outras postagens daqui. Se alguém estiver interessado em Kobayashi-san dublado com uma qualidade melhor do que você encontra oficialmente, já joguei os arquivos fora. Só baixe o Audacity e sincronize os áudios. É fácil, aquelas transições de cena com cinco bipes facilitam muito o trabalho. Até a próxima postagem.

Publicado em