Honoríficos

Continuando a série sobre tradução resolvi falar sobre esse tópico popular. Praticamente qualquer um que tenha assistido pelo menos cinco animes já deve saber muito bem do que se trata.

Antes de entrar no assunto queria compartilhar um gráfico que achei faz alguns anos em um chan que representa bem esse assunto: “a importância do uso de honoríficos × conhecimento de japonês”

inline image

Pelo gráfico dá para notar porque esse assunto é tão prevalente: muita gente assim que começa aprender japonês já acha que honoríficos são super-mega-hiper-importantes, mas conforme vai aprendendo mais sobre a língua e cultura japonesas descobre que não é bem assim.

Não vou discutir aqui os motivos de ser ou não importante - até porque ainda não sei praticamente nada e por isso não tenho muitos argumentos - mas quero falar de como isso se reflete no ramo das traduções.

Falando de traduções oficiais vemos que: serviços com público alvo diverso, como Netflix e Amazon, nunca usam, já serviços focados apenas em anime, como Crunchyroll, usam em torno de 40% das traduções. Baseado em alguns dados que tenho estimo que apenas ~15% das traduções de animes para jovens usem honoríficos, por outro lado quando se trata de animes para adultos esse número aumenta para 75%.

No quesito das traduções não-oficiais a minha impressão é que em inglês há uma situação parecida com a CR - um 50%/50% - mas por outro lado é bem raro achar alguém que não use.

Estou implicando que os tradutores daqui não sabem japonês? Claro. Qualquer um que tenha o esforço de comparar as traduções para o português com as para o inglês sabe que quase ninguém traduz anime do japonês. Se traduz ou é Fate ou uma música que não tem no Lyrical Nonsense (que - fazendo jus ao nome - tem um monte de traduções erradas embora poucos notem isso).

Mas como é moda por aqui usar honoríficos o pessoal usa mesmo sem entender mesmo… o que nem sempre funciona: dá para achar cada situação estranha, desde aniki sendo traduzido para onii-chan até anime dublado com honorífico.

Um outro fator - além de ser modinha - que leva o pessoal a usar isso é preguiça a otimização do processo de tradução: é bem mais fácil copiar o que está sendo dito do que se preocupar com gêneros ou com deixar uma fala de forma natural.

Parte desse problema é culpa dos serviços de streaming que, embora não seja natural em português ficar chamando os outros com -inho e -inha (exceto crianças e bebês), insistiram por anos em fazer isso como uma forma simples e preguiçosa de adaptar uma tradução para um público mais amplo. A reação da comunidade foi considerar que o problema era a falta de honoríficos, o que causou essa modinha.

Hoje em dia até a CR resolveu seguir essa modinha: tirando animes que já seguiam o padrão antigo eles geralmente usam honoríficos. Mas precisava ser assim? O problema daquelas traduções soarem tão artificiais era culpa da ausência dos honoríficos? Não, era culpa da preguiça de quem traduziu.

Uma forma de saber como traduzir sem honoríficos sem soar artificial é… assistindo traduções boas. Um exemplo: a dublagem de Kobayashi-chi no Maid Dragon parece um monte de otakus de sete anos brincando de falar japonês misturado com português, já a tradução da DameDesuYo é natural, simples de entender, bem agradável e não precisou usar honoríficos.

Para o futuro espero que o pessoal pare de se preocupar com a gramática do bom moço, as regras de honoríficos e os traumas do passado e se preocupe mais em fazer algo que mesmo daqui dez anos possam ver e pensar que fizeram algo bem feito. Se alguém usa honoríficos só porque alguém disse que quem não usa não é gente experimente um dia não usar: se gostar do resultado (ou não) faça o que achar melhor. Se cada um fizesse o que gosta sem ficar tentando seguir modinhas seria bem melhor.