Esse não é um anime que eu, ou qualquer outra pessoa, tenha terminado. Na verdade só assisti um episódio dele por que vários outros animes fazem referência a ele. De início posso já falar algo importante sobre ele: é a animação que durou por mais tempo na TV no mundo inteiro, desde 1969, e ainda está ao ar! Falando nisso ele passou domingo na Fuji TV, 6:30 da [Brasil: manhã; Japão: noite] (respectivo ao horário do Faustão). De fato é um que é bem diferente de qualquer outro anime que já tenha visto, em vários pontos, como estilo de arte, público alvo e o enredo, porém, mesmo para quem não é japonês ele não é tão estranho assim.

Para começar o estilo de arte dele não é o comum de ser visto em anime, não é o estilo mangá, ou sei lá como poderia ser chamado. É um estilo simples, claramente infantil. Também lembra muito o estilo da época que foi criado, mantendo ele até hoje, mesmo com toda a modernização que houve. Eu tentando imaginar que estilo de desenho ele me lembrava me lembrei de Luluzinha, embora não possa estar certo disso por que não assisti muito esse desenho.

Isso talvez seja influenciado muito pelo público alvo: não são otakus, são os japoneses em geral, crianças, adultos, idosos. Não tem nada de tsunderes, video-games ou redes sociais. O episódio de onsen não tem fan-service, porém mostram o cotidiano tradicional. As crianças brincam uma com as outras, vão à escola e fazem o trabalho a mão, e bem feito. Me lembrou Chaves nesse aspecto, embora eu não possa estar certo disso por que não assisti muito esse desenho.

O enredo já até falei, como eu disse é sobre o cotidiano tradicional. Não sei se é um slice-of-life ou não, ainda mais por que esses termos difíceis são para linguistas e psiquiátricas, mas parece que é por aí. O que a Sazae faz da vida? Brinca com a família, faz compras, conversa com os outros, ajuda o pessoal. Percebem uma coisa: não tem trama, é basicamente isso mesmo. Curioso sobre isso é que, pensem comigo, como um anime tem tantos episódios e consegue ir ao ar até hoje? Pelo própria lógica do anime: falando de acontecimentos comuns, como uma ida as compras ou um trabalho de escola, as ideias nunca acabarão.

Ao mesmo tempo, dado o público alvo, há um sentimento de saudade presente: imagino que se por aqui as coisas estão bem diferentes, como por exemplo, não vemos tantas crianças na rua como antigamente, imagino que no Japão isso seja bem mais forte. Claro que o pessoal mais tradicional iria gostar de um anime mostrando o pessoal brincando, ao invés de ficar viciado em um jogo. Além disso - imagino - ajudando na educação: nunca na minha vida vi tanta gente naquela posição tradicional que deve doer a beça - mas minha irmã consegue fazer - e até mesmo os garotos, algo que não vemos em outros animes.

Sazae-san tem, no momento, mais de 7000 episódios ( ninguém atualiza essa contagem ), mas não vou fazer uma postagem de 7000 linhas. Fico por aqui, até mais!


Gustavo bio photo

Gustavo

Escrevo sobre programas, animes e um pouco mais.

Twitter Github Stackoverflow MyAnimeList