Como a maioria das resenhas que eu fazia são de baixa qualidade a partir de hoje não postarei mais resenhas para cada anime que terminar aqui no blog.

Continuarei postando informações sobre os animes que eu me interessar, mas não seguindo o modelo de resenhas.

グスタボ.tk

Se alguém quiser acessar o blog agora também tem esse link. Ah, se quiser me mandar um e-mail tem esse: メール@グスタボ.tk

Atualização: no futuro irei fazer algo com esse domínio, um site e de preferência em japonês, isso é, se eu conseguir aprender o suficiente até lá.

Nisekoi: quem é a garota da promessa?

Se todo mundo morasse junto poderíamos chamar esse lugar de Hinata Sou…

Nisekoi é um anime onde o casal Ichijo Raku e Kirisaki Chitoge são namorados por escolha dos pais. Se apresentando como um casal bem apaixonado o casal caminha pelo seu amor falso (que é o nome do anime) por situações diversas e cômicas.

Porém, como se não bastasse isso ele já tinha feito uma promessa com uma garota, cuja lembrança dela é só um medalhão. Por outro lado, embora ele queira manter a promessa ele ainda é apaixonado por outra garota, Korasaki Onodera, que (não surpreendentemente) também é apaixonada por ele.

Ora, ele não sabe quem é a garota da promessa: vai que é uma das duas. A Chitoge não seria, claro: uma garota brutal que nos momentos íntimos ele a chama de gorila, não poderia ser. Porém vai saber o que acontece nessa história romântica.

As outras meninas que estão aí? Mais pessoas para o harém? Nada: são as amigas das protagonistas, pela cara delas dá para ver que não estão lá interessadas (ao menos nessa imagem).

Mas a história não fica só nisso, mas também não dá para contar mais (e também já falei de mais): quem quiser saber mais assista o anime (ou veja a wiki… só escrevo, não sou um policial).

Sukitte Ii na yo

Nada tão bonito como uma história romântica…

Sukitte Ii na yo (que por influência de Sakura Trick eu lia como “Sukitte Ii nano" ( ≧Д≦) ) é um anime que conta a história do casal Kurosawa Yamato e Tachibana Mei.

Yamato é o cara com o tipo que todo mundo gosta: bonito e cheio de amigos. A Mei, por outro lado, é a menina que ninguém fala com ela, reclusa e sem amigos. Um dia ele se apaixonou por ela e então ele buscou conquistá-la.

Com o tempo houveram problemas, dúvidas e intrigas, mas também houveram diversos momentos bons e lições aprendidas. Histórias de um casal jovem, até um pouco inocente, que iniciou uma bela história.

Como eu tinha falado de Sakura Trick falo de novo: ambas as histórias mostram um casal que com o tempo vai se conquistando. A impressão de que Sukitte Ii na yo é mais realista não se dá somente ao fato de ser mais raro ver um casal de lésbicas, mas por se apresentar de maneira menos cômica - talvez se eu ri ao assistir esse anime foi de mim mesmo por eu não ter tido a mesma sorte ou sabedoria.

Há muito de bom para ser visto nesse anime. Assista ele, aprenderás algo, ou no meu caso, muita coisa.

Gingitsune: os mensageiros dos deuses

Pelo título já dá pra ver como vai ser, mas vou me ater e só falar que me lembrou um pouco o catolicismo.

Gingitsune é um anime que mostra a história dos arautos, que são animais que morreram e que após a sua morte se tornaram mensageiros dos deuses. Eles vivem em templos e só podem ser vistos pelas pessoas que tem a visão, que são geralmente os sacerdotes ou seus herdeiros.

O anime mostra a relação dos arautos com os que tem a visão e também com outros arautos. Pela sua situação especial eles vivem muito mais tempo que os humanos e por isso se tornam muito mais sábios, porem mesmo assim há arautos jovens (e com problemas de todo jovem), há arautos velhos, enfim, de todo tipo. Ah, não podemos esquecer que ainda tem alguns poderes, mas só coisa básica mesmo.

Embora tenha falado muito deles a história gira muito também em torno dos que tem a visão: a menina e o garoto, Makoto e Satoru, respectivamente. Ambos estudam na mesma escola e moram no mesmo templo, embora ele seja de outro. Embora as meninas gostem dele não é uma comédia romântica, o que é bom.

Mas antes que eu acabe contando a história - o que eu acho difícil já que é um slice of life - tendo que contar que o anime mostra histórias boas sobre família e amigos, o passado e o futuro, a vida, o tempo, entre outras lições importantes.

Bem, é um anime divertido: assista.

Witch Craft Works: há uma bruxa ao seu lado

Witch Craft Works mistura fantasia, ação, romance e muita comédia em um anime bem interessante. A história se dá em uma cidade comum, um colégio normal, um garoto normal.

Tudo ia bem: tumulto no ônibus, uma aula chata e no intervalo, um urso acompanhado de mensagens maléficas aparece. Mal nosso protagonista o encontra um prédio caí, bem no meio do pátio, em cima dele. De repente ele é surpreendido por uma bruxa com orelhas de gato queria matá-lo com seu exército de ursos e coelhos não tão amigáveis.

Antes que pudessem fazer alguma coisa aparece a garota mais elogiada do colégio, vestida bem diferente do normal: também bruxa. Usando um contra ataque quase perfeito – quase já só foi ela olhar para o lado que o garoto quase caiu em outra armadilha – tudo voltou ao normal e ele acordou na enfermaria são e salvo.

Ela explica para ele (há de ressaltar que não me lembro do nome do casal e não quero copiá-los de outro site pois não faria sentido) o que aconteceu e diz a ele que ela é uma bruxa e que ela irá protegê-lo daquelas que procurarão a morte dele… como se ele fosse a sua princesa.

Ele como bom moço quer ajudá-la, mas passa todo o anime sendo salvo diversas vezes por ela nos mais diversos ataques das bruxas: o grupo das cinco bruxinhas que são mais atrapalhadas que tudo, e que passam a morar na casa dele, e umas outras mais inteligentes que aparecem com o desenrolar da história.

Isso tudo é quase só o primeiro episódio: é muito texto, é muita coisa para falar, melhor assistir o anime.

Por que a foto das bruxas atrapalhadas? O anime não seria a mesma coisa sem a graça delas – ao contrário dos protagonistas, um fraco e uma sem graça, cujo único beijo que deram foi na bochecha…

Kamisama no Inai Nichiyoubi

image

E no sétimo dia abandonou-o…

Kamisama no Inai Nichiyoubi, ou Domingo sem Deus, mostra uma história faz de início essa intertextualidade porém mudando toda a história assim que o mundo é terminado.

Sem deus (é uma história, logo não há porque ser em maiúsculo, embora seja no nome) as pessoas deixam de morrer. Ao contrário do esperado, que é a ausência de Deus causar a morte, ela gera uma vida eterna, vida essa que mesmo pela pior situação as pessoas continuam vivendo. Seria algo como zombies? Talvez.

Antes que o anime se pudesse se tornar só mais outra série de zombies surge Ai, a protagonista, uma menina, uma coveira. Coveiros são aqueles que, ao enterrar aqueles que esperam pela morte, possibilitam que descansem em paz. Assim, com o passar da história, são mostrados assuntos desde a morte até aos desejos humanos.

Não tive sorte nesse anime, comecei pelo último episódio e assisti então do início esperando entender o que eu tinha assistido aquela vez. Embora tenha entendido o final não entendi o anime em geral: não vi uma conexão entre o início e fim e embora esteja no nome o anime é extremamente sem deus, sendo citado no primeiro episódio e em alguns outros, tal como se não fosse necessário.

Procurei ver se poderia encontrar algo no anime que pudesse ser útil. Ideias vieram, tal como “como seria se alguém se machucasse no paraíso? seria como o pai da Ai? duvido”. Talvez encontre algo… a ação é boa.

Nota: forcei a referência, queria testar se meus sites estão funcionando.

Joshiraku: uma comédia bem japonesa

Como assistir esse anime em três passos simples:

1. Assista e só entenda as piadas óbvias.
2. Aprenda japonês e fique por dentro da cultura e modo de vida do Japão
3. Assista novamente e ria de cada trocadilho e tudo mais

O primeiro passo é opcional.

Embora esse sendo um anime cheio das piadas internas (i.e. trocadilhos) diversos assuntos são retratados nele. As cinco protagonistas falam de assuntos femininos, internacionais, religião, cultura e tudo mais com muito humor, claro.

Noragami

Dos animes que assisti *finalmente um que não é romântico*! Noragami mostrou, entre as diversas lutas entre espíritos, deuses e tudo mais da drama, lições de amizade e superação.

Falando assim parece até desenho infantil, mas não quando um deus da destruição larga seu passado tempestuoso e uma sua arma, um eterno adolescente, deixa seus conflitos e rebeldia - que são bem representados numa expressão demoníaca que só deixa de ter após se arrepender deles.

Falando assim* parece um desenho educativo. Teve um pouco de comédia também, claramente visto na linda deusa da pobreza, e na Hiyori que vive perdendo o próprio corpo, ainda o Yato, um deus que trabalha de bicos e vive na casa dos outros.

Falando assim* parece nonsense. Não sou bom para resenhas, se interessou melhor mesmo é assistir o anime. Vai lá, tu vai gostar dele.